Como chegar da Av. Paulista aos principais pontos de São Paulo?

Pessoas aproveitam final de tarde no Parque Ibirapuera – Como chegar da Av. Paulista aos principais pontos de São Paulo | Club Coworking

São Paulo é sinônimo de negócios, mas também oferece um leque de atividades culturais, esportivas e gastronômicas que merecem ser aproveitadas. Se estiver na capital, vale arrumar um tempinho para conhecer essa outra face da maior cidade da américa latina.

São Paulo é a capital brasileira do trabalho e um dos principais destinos nacionais para o turismo de negócios. Mas, para quem encontra um tempinho, a cidade também reserva um leque de atrações e de entretenimento à altura das principais metrópoles do mundo. As possibilidades de acesso a esses pontos da cidade são múltiplas, tanto para os habitantes fixos, quanto para os milhões de turistas que chegam para compromissos profissionais ou a passeio.

A maior cidade da América Latina conta com mais de mil linhas de ônibus e com um complexo de metrôs que percorre quase 100 km do município. Incentivando o ciclismo como meio de transporte urbano, São Paulo ainda oferece 8 mil vagas nos bicicletários públicos instalados em vias urbanas e nos terminais de ônibus e estações de trem e de metrô, além de mais de 600 km de vias com ciclovia.

Da paulista para qualquer lugar

A região da Avenida Paulista é parte do centro estendido e um dos destinos mais procurados da capital de São Paulo tanto por concentrar empresas, como por sua vida cultural, social e gastronômica. Além disso, a Paulista é de fácil acesso, já que a região engloba diversos pontos de ônibus, com centenas de itinerários diferentes, e é servida pela linha verde do metrô.

Na Paulista ainda é possível solicitar táxis e carros por aplicativo em poucos minutos e, para quem gosta de pedalar, há pontos fixos onde se pode alugar uma bicicleta, pagando por hora ou por período. No aplicativo Bike Sampa, mantido pelo Banco Itaú, por exemplo, o preço do aluguel parte de R$ 4,30 para 30 minutos de uso. A entrega não precisa ser feita no local da retirada: basta que a devolução ocorra em uma outra estação de bicicletas do Itaú.

Como chegar da Avenida Paulista ao Aeroporto

Para quem chega de fora, o aeroporto de Congonhas é o mais próximo da Avenida Paulista – a apenas 15 minutos de carro ou 40 minutos de ônibus, sem trânsito. Se optar pelo transporte por aplicativo, a corrida custa em torno de R$ 15 fora dos horários de pico. Já o aeroporto internacional de Cumbica, em Guarulhos, fica a pelo menos 40 minutos de carro ou a até duas horas nas opções de ônibus executivo e de transporte público (ônibus e metrô).

Já a partir dos dois terminais rodoviários de São Paulo, localizados nas zonas Norte e Oeste, a forma ideal de se chegar à Paulista é por meio do metrô. Isso porque as duas rodoviárias que atendem à cidade estão anexas a estações metroviárias: Tietê (Linha Azul) e Barra Funda (Linha Vermelha). A partir delas, é possível fazer a conexão para a Linha Verde e desembarcar em uma das estações de metrô da Avenida Paulista (Brigadeiro, Trianon/MASP e Consolação).

Passeios

Se você tiver tempo para explorar São Paulo, as opções são inúmeras partindo da Avenida Paulista. Durante o dia, uma visita ao Parque do Ibirapuera, que fica a uma distância de 3 km da Avenida Paulista, é uma boa pedida. Se tiver disposição para caminhar ou pedalar, você pode descer a avenida Brigadeiro Luís Antônio para encontrar a área arborizada de 158 hectares tombada pelo Patrimônio Histórico Nacional.

Com jardins idealizados por Burle Marx e instalações projetadas por Oscar Niemeyer, o local oferece mais de 20 atrações que incluem o pavilhão da Bienal de Arte de São Paulo, o Museu de Arte Contemporânea (MAC), o Museu de Arte Moderna (MAM), o Museu Afro, a Oca e o Planetário. O parque também abriga espaços para exercícios físicos e para caminhadas contemplativas, playgrounds e vários espaços, como o jardim japonês, ideais para relaxar ou para ler ao som dos pássaros.

Cafés, restaurantes e vida noturna

O entorno da Avenida Paulista compõe uma parte importante do roteiro gastronômico de São Paulo com dezenas de cafés e alguns dos melhores restaurantes de São Paulo. Em uma caminhada pela região é possível viver experiências culinárias que vão desde um cafezinho básico a pratos consagrados da cozinha internacional.

As opções para uma saída noturna incluem espetáculos teatrais no Teatro Gazeta, no Centro Cultural FIESP e no SESC da Avenida Paulista e cinema para todos os gostos: desde o tradicional Reserva Cultural até redes espalhadas pelos diversos shoppings da região. Também é possível desfrutar da vida boemia paulistana nos bares, danceterias e baladas das regiões dos Jardins, Cerqueira Cesar, Bela Vista e Baixo Augusta.

Aos domingos, a Paulista em si é uma atração à parte. Nesses dias, a avenida é fechada para os carros e os três quilômetros de via pública se transformam num imenso parque a céu aberto. O espaço é ocupado por apresentações de rua que vão do jazz ao samba, por feirinhas artesanais, Food Trucks e uma série de atividades culturais gratuitas para todas as idades. No entanto, atualmente, por conta da pandemia da Covid-19, as programações dominicais da Paulista estão temporariamente suspensas.

Para se aventurar na cidade

Também é possível partir da avenida Paulista para outras atrações da cidade de São Paulo. Para chegar ao burburinho da Vila Madalena passando pelo centro velho, por exemplo, gasta-se menos de 15 minutos de carro. No trajeto, é possível apreciar imponentes prédios do início do século XX, como os edifícios da Bolsa de Valores do Estado de São Paulo (BOVESPA), do Centro Cultural Banco do Brasil e da Pinacoteca do Estado.

No finalzinho da Avenida, a poucos metros da estação Consolação do metrô, o Club Coworking da Paulista está no centro de tudo, facilitando aquela “fugidinha”. Essa é a prova de que, apesar da fama, São Paulo é muito mais que uma cidade de negócios!

Os segredos dos maiores CEOs do mundo para manter o foco

coworking

É difícil manter a concentração? Você parece ter perdido o foco e a capacidade criativa? Saiba que isso não é tão raro de acontecer, especialmente quando estamos preocupados, ansiosos ou inquietos por algum acontecimento.

Nessas horas, vale a pena lançar mão de dicas de quem entende melhor do que ninguém o mundo da produtividade. Que tal saber o que pensam os maiores CEOs do mundo e como eles conseguem manter o foco?

Dizem que pequenos hábitos são o segredo do sucesso. Então, que tal mudar os seus para se tornar mais produtivo?

Jack Dorsey, presidente do Twitter e CEO da Square

O executivo diz que é fundamental escolher um tema para cada dia. No caso dele, que precisa cuidar de duas empresas, sua programação funciona assim: as segundas-feiras são dedicadas à gestão; terças são focadas em produtos: quartas são para marketing e comunicação e assim por diante. Assim, você cria uma rotina e disciplina para manter o foco.

Larry Page, CEO do Google

Um dos CEOs mais reconhecidos do mundo recomenda passar um dia da semana com apenas um aparelho móvel. O executivo do Google diz que se força a passar grande parte do dia sem usar o computador – apenas com smartphone.

Ele incentiva seus engenheiros e gerentes de produtos a fazerem o mesmo, mantendo o foco da empresa no celular. Aqui, vale a pena só prestar atenção para não gastar muito tempo nas redes sociais em vez de trabalhar, ok?

Phil Libin, CEO da Evernote

Sabe quando você aproveita cada minutinho para trabalhar e recuperar o tempo perdido. O executivo da Evernote diz que não tem mais o hábito de trabalhar em viagens de avião, por exemplo. Ele usa esse tempo para relaxar, ver filmes, dormir ou jogar.

Chad Dickerson, CEO da Etsy

Esse executivo da ETSY diz que possui sistema para tudo – desde o controle de seu e-mail à organização de cartões que recebe em eventos. Uma dica que ele dá é escrever os nomes em sua agenda e acrescentar anotações sobre como e onde conheceu aquela pessoa e sobre o que eles conversaram.

Assim, se precisar estabelecer um contato no futuro, poderá citar especificamente a conversa.

E aí? Deu para se inspirar nesses profissionais de sucesso? Adapte essas ações ao seu dia a dia e veja como é possível ser mais produtivo com as ações certas!

Como se livrar da “infoxicação”: excesso de notícias

Notícias, notícias, notícias… Em tempos de coronavírus, informar-se sobre precauções e medidas é fundamental, mas, se nos mantemos ligados aos noticiários por muito tempo, esse hábito pode trazer sérias consequências à nossa saúde mental, causando a “infoxicação”.

O excesso de notícias traz ansiedade, incomoda e pode até prejudicar nossa concentração no dia a dia. Outros sintomas muito relatados são insônia, pesadelos, depressão e tantos outros.

Controlar o acesso à informação é fundamental para manter a saúde mental em dia. Por isso, a seguir, veja como se livrar disso.

Como controlar a ansiedade frente à pandemia do coronavírus?

Para não se contaminarem com o vírus, muitas pessoas acabam se contaminando com notícias. São mensagens por redes sociais, televisão e tantas outras vias que nos prejudicam e causam ansiedade.

Por isso, para controlar essa ansiedade, é essencial não confiar em todos os “especialistas” que encontramos. Isso porque informações conflitantes trazem muito prejuízo às nossas mentes e causam insegurança.

Naturalmente, o ser humano já tende a ir para o lado negativo. A própria imprensa nos convoca a ir por esse caminho, porém, quando sentimos medo, nos desesperamos de alguma forma.

Uma forma de se evitar isso é buscar canais oficiais e de confiança para obter informação, além de restringir as fontes, filtrando melhor o que você recebe.

Há muitas pessoas tão impactadas por essas notícias de pandemia que entram em diversas paranoias, passando a acreditar em teorias da conspiração. Reações neuróticas também são comuns, visto que tudo passa a ser visto como ameaça à vida.

Como se livrar do excesso de notícias para dormir bem

São muitas as queixas de pessoas que não conseguem dormir bem diante das notícias de coronavírus, isolamento e repercussão do problema no mundo.

Para evitar que surjam pesadelos e outras perturbações, o ideal é conseguir manter o equilíbrio durante o dia, para manter esse padrão à noite. Se você passou por um dia ansioso e com angústia permanente, sua noite provavelmente será turbulenta.

Atividades físicas em casa ajudam muito a minimizar essas sensações. Todos tiveram que se readaptar e se reinventar. Portanto, encare essa fase como uma oportunidade de repensar hábitos – o que inclui o home office.

Outra medida para dormir bem em tempos de coronavírus é buscar conteúdos que sejam positivos. Que tal ver um filme ou documentário bem leve antes de ir se deitar? Deixe celular e redes sociais de lado e tente se distrair com algo positivo.

Lembre-se: o cérebro se impressiona com as últimas informações que recebe antes de dormir. Então, que tal impressioná-lo com coisas boas e positivas?