Cresce a adesão aos modelos de trabalho remoto e híbrido no Brasil. Ferramentas ajudam profissionais de RH a gerir equipes a distância

Trabalhar em qualquer lugar do mundo, sem estar fixado na mesma estação de trabalho, sempre foi o sonho de muita gente. No “novo normal” esta já é uma realidade de muitos profissionais. Desde o início da pandemia, novos modelos de trabalho se tornaram comuns, trazendo mais flexibilidade, produtividade, criatividade e, consequentemente, felicidade.

Neste cenário, os conceitos de trabalho remoto e híbrido estão se popularizando por proporcionar novas possibilidades para colaboradores, empreendedores e empresas, principalmente a de se obter mais qualidade de vida, com menos estresse no dia a dia.

Teletrabalho, Trabalho Remoto ou Anywhere Office 

Esses modelos consideram as tecnologias da Informação e Comunicação, como internet, computadores, softwares, dispositivos móveis e outras como ferramentas de trabalho suficientes para que o funcionário desempenhe suas atividades fora dos ambientes físicos da empresa. Para profissionais com perfil de autogestão e autonomia, a flexibilidade no trabalho pode ser um excelente motor de produtividade. 

Além do home office, é possível também usar espaços de coworking, cafés, restaurantes, bibliotecas, clubes, hotéis, condomínios etc. Para isso, basta contar com uma boa conexão de internet em um dispositivo, com acesso às principais plataformas de interação da empresa. 

O futuro do trabalho é híbrido

O modelo híbrido contempla a alternância de dias de trabalho em locais distintos, podendo ser em casa, na sede da empresa ou em espaços de coworking.

A Technology Review, uma das principais publicações de tecnologia e negócios do mundo, com a chancela do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts), publicou o estudo Work Anywhere em dezembro de 2020, que retrata o panorama da cultura do trabalho no pós-pandemia.  A conclusão foi taxativa: o futuro do trabalho será híbrido.

A vantagem deste modelo é que ele  resolve as limitações da distância física, atende às diversas necessidades dos colaboradores e das empresas, e ajuda a manter a consistência de objetivos, metas, política e cultura organizacional.

Como fica o papel do gestor de RH?

E como os profissionais de Recursos Humanos podem avaliar o desempenho profissional e a satisfação das equipes no trabalho remoto ou híbrido? No atual momento, que acena para um caminho sem volta nas novas rotinas de trabalho, é importante falarmos sobre isso.

Tradicionalmente, o RH desenvolve atividades para garantir o clima organizacional, fortalecer a cultura da empresa e manter o nível de satisfação de bons profissionais. Nesta nova realidade, surge uma série de dúvidas sobre como os profissionais de RH devem lidar com o gerenciamento e o acompanhamento de colaboradores em modelo híbrido.

Dicas para ajudar o RH a gerenciar o trabalho remoto e híbrido 

Sem tempo hábil para se adaptar, muitas empresas, de uma hora para outra, foram obrigadas a adotar o trabalho remoto como estratégia de sobrevivência. A transição do presencial para o teletrabalho envolve gestores e áreas de Recursos Humanos. Um desafio, por exemplo, é monitorar o excesso de horas trabalhadas.

Para especialistas, vale a pena aproveitar essas mudanças no ambiente de trabalho para redesenhar o papel do RH na era do trabalho híbrido. Um desafio neste novo cenário é recriar processos e realinhar ações para públicos mais pulverizados em diferentes espaços de trabalho, seja no escritório, no coworking ou no home office.

Já falamos aqui no blog sobre o que você não deve fazer trabalhando home office. Agora, reunimos 5 dicas para ajudá-los a desempenhar suas funções remotamente. 

1. Preparação dos times

O time de RH deve promover ações que auxiliem as equipes a se adaptar ao novo cenário. O primeiro passo é esclarecer muito bem as novas regras e divulgá-las a todos para que se sintam seguros até se acostumarem às novas diretrizes.

2. Capacitação de líderes, gerentes ou gestores

As exigências mudam, assim como a forma de medir a produtividade. Cobrar horários perde o sentido, enquanto reuniões virtuais, mensagens por e-mail ou por aplicativos de conversas e ligações telefônicas se tornam mais frequentes. Cabe ao RH oferecer o suporte necessário ao gestor.

3. Alinhamento de expectativas

Além dos gestores, a direção da empresa deve entender os benefícios e características do trabalho híbrido ou remoto e estar de acordo com a implementação destas mudanças. É aí que entra o RH para fazer essa intermediação e garantir o alinhamento;

4. Revisão de ações para atração e seleção

A nova cultura da empresa pode exigir a renovação das equipes. A busca por novos profissionais precisa ser ajustada e os requisitos para a contratação devem refletir esse novo cenário para melhor integração dos recém-chegados;

5. Adequação das ações de retenção de talentos

Critérios usados para manter os colaboradores engajados e motivados devem estar de acordo com as novas propostas da empresa, endossando a cultura do anywhere office. Cada benefício da política de retenção deve ser revisto.

Club Coworking é aliado do RH das empresas

A alta na procura de coworkings é impulsionada pela demanda crescente por mais flexibilidade no modelo híbrido. Com a ressignificação do sentido de “escritório” e avanço do trabalho remoto e híbrido, o desafio é reinventar a forma de gerenciar as equipes. Realizar esta tarefa remotamente é difícil, mas não impossível e pode contar com apoio dos espaços compartilhados.

Para as atividades que são essencialmente presenciais, os gestores de RH podem contar com a parceria do Club. Os ambientes flexíveis da unidade do Club Coworking Faria Lima por exemplo, permitem que profissionais autônomos, equipes remotas e colaboradores em trânsito possam trabalhar de onde estiverem, com conforto e segurança, seguindo as diretrizes das empresas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *